28/Outubro/2017 – “De Rada Tilly até Ushuaia/AR”

Publicado em Publicado em Diário de bordo

A partir deste ponto o nosso primeiro grande objetivo é chegar ao Ushuaia/AR, extremo Sul da América do Sul. Esta já é uma diferença que observamos em conversas com vários viajantes (Overlanders).

A nossa proposta é um pouco diferente da maioria dos viajantes que conversamos até então. A diferença é sutil, mas significante.

Nossa proposta e lema, é “viajar por aí” com alguns grandes objetivos, que julgamos importantes, como por exemplo chegar ao extremo sul da América do Sul, enquanto percebemos que para a maioria dos viajantes que encontramos até o momento, a proposta básica é de “chegar apenas à algum lugar”, “viajar por algum continente”, “viajar até um local já determinado”, ”viajar por alguns meses/anos”, “Alcançar determinado objetivo até uma data pré determinada” e outros tantos outros pontos previamente definidos.

Logo, isto nos parece que limita um pouco a liberdade oferecida pelas estradas.

Saímos do Camping Municipal de Rada Tilly, logo cedo às 11h 18min seguindo rumo ao Sul, com previsão de parada para dormir em um posto de combustíveis à cerca de 400 Km em Puerto Julian. No trajeto encontramo mais um posto de controle da Polícia Argentina onde mais uma vez nos solicitaram todos os documentos e anotaram tudo de forma rudimentar e depois nos desejaram boa viagem.

Conforme planejado chegamos ao posto indicado no app iOverlander, escolhemos o local para estacionar sempre próximo às lanchonetes, e pronto, wifi grátis estabelecido, depois foi só preparar o almoço e relaxar. Mas para a nossa surpresa, ocorre que o celular começa a indicar sinal de ligação via whatsapp e para aumentar a nossa surpresa tratava-se da ligação de uma grande figura que conhecemos em fev/2016, auto intitulado ”Don Corleone da Argentina” (Sr Gasparini) que de imediato, assim que soube da nossa localização e destino, fez contato com outros amigos e nos retornou informando que já estão nos aguardando na cidade de Rio Grande-AR, mais à frente para indicar opções de parada.

Foi uma imensa e grata surpresa pois de fato é mais uma pessoa muito especial que encontramos pelas estradas, um grande companheiro. Comunição estabelecida nos divertimos muito com a situação e depois relaxamos.

Dia seguinte, novo trecho a percorrer, com previsão de rodar apenas 350 Km e parar em um outro posto de combustível agora em Rio Gallegos. Este trajeto foi especialmente bonito, no que se refere a paisagem e a beleza da estrada (Ruta Nacional 3), apesar da chuva intensa que enfrentamos durante todo o percurso e o frio de 5 (cinco) graus. Foi um trajeto mais demorado do que normal visto que a velocidade teve que ser reduzida, não só pela chuva mas também pelo vento sempre intenso nesta área. O folclore relata que na Patagônia tem duas épocas, a dos ventos e dos ventos intensos.

Chegamos ao posto indicado, também no iOverlander, nos estabelecemos na lateral do posto em frente a uma farmácia, preparamos o almoço e fomos desfrutar do frio e do vento. Dormimos tranquilamente até o dia seguinte…

Tão logo percebemos que o dia tinha amanhecido, acordamos fizemos o nosso ritual de preparar e tomar o café, arrumar a casa e preparar para partir. Como sempre, desci do artniC para uma volta no seu entorno e verificar se tudo esta OK, aparentemente, se esta fácil para manobrar etc, me deparei com um cidadão com um casaco Seleção Brasileira, informando ser Venezuelano e que estava percorrendo a América do Sul de bicicleta com a sua namorada…

No final da estória, a necessidade era de conseguir uma carona para o casal e as duas bicicletas até a fronteira com Chile…

Lamentamos mas informamos que não existia a menor chance de caber tudo isso dentro do artniC. Coisas comuns que estamos vivenciando…

Seguimos então rumo a fronteira com o Chile, comendo as frutas que ainda restavam na geladeira.

Todos os relatos e também de experiência própria, sabemos da rigorosidade dos agentes da aduana Chilena.

Chegamos à Fronteira Argentina/Chile e fomos muito bem tratados em ambos os processos, tivemos o artniC revistado, inclusive com um cão no seu interior e rapidamente fomos liberados, cumprimos todo o rigor da Aduana Chilena, nada de frutas, verduras, legumes, ovos, carnes cruas, ou derivados de animais in natura, etc, etc…

Seguimos o rumo, até a nova aduana Chilena para realizar o processo inverso, agora de saída do País para retorno à Argentina e seguir para o Ushuaia.

Mais uma vez sem nenhuma surpresa nem perda de tempo. Assim como ocorreu no retorno à Argentina, trâmites simples cumprindo todos os requisitos exigidos.

De volta a Argentina, resolvemos pernoitar mesmo sendo bem cedo, em um posto de combustíveis ao lado da Aduana para no dia seguinte seguir direto para o Ushuaia.

Mesmo abrindo mão de encontrar os novos amigos indicados pelo “Don Corleone da Argentina – Sr Gasparini” em Rio Grande, próxima cidade após à Aduana.

Acordamos bem cedo e partimos rumo ao tão esperado Ushuaia, sabendo que a viajem seria repleta de paradas para fotos.

Assim foi o dia, anda e para, anda e para, com inúmeras fotos que estão na aba de fotos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *