29/Dezembro/2018 “ De Lima até Acapulco/PE”

Publicado em Publicado em Diário de bordo

Dia de deixar Lima, saímos logo cedo às 8h 28min, com o destino traçado para Acapulco, um pequeno lugarejo localizado no Norte do Peru, próximo ao Balneário de Zorritos, onde tínhamos uma boa indicação de parada para desfrutarmos o final de ano. Porém a distância até o destino traçado era de aproximadamente 1.200 Km e certamente precisaríamos de pelo menos três dias de estrada para chegar lá. Assim fizemos, seguimos inicialmente rumo à praia de Las Gramitas, para o primeiro pernoite. Mais uma vez confirmamos que as estradas menos convidativas apresentam ótimas recompensas. Ficamos com grande vontade de ficar mais alguns dias nesta praia, sem nenhum recurso de energia/água/mercado e outros, mas muito bonita e aprazível, pudemos identificar algumas barracas de camping espalhadas pela praia, sinalizando que o local deve ser seguro .

Mantendo nossa determinação, no dia seguinte levantamos acampamento e seguimos para o segundo pernoite antes do final do ano.

Seguimos agora rumo à localidade de Lambayeque para uma Pousada que recebe Overlanders. Foi um trajeto bem desgastante, pelo fato de cruzarmos várias pequenos vilarejos com trânsito extremamente caótico e com excesso de “tuc-tucs” (Triciclo taxi para três pessoas). No final do dia chegamos à cidade e que foi uma das cenas mais deprimentes que encontramos no Peru (até o momento). Encontramos uma cidade completamente imersa em lixo urbano. Aparentemente esta é mais uma cidade que não possui serviço de coleta de lixo que a população também parece não se incomodar com este fato. Com grande freqüência identificamos resíduos sendo lançados para fora dos automóveis, pessoas lançando diretamente nas ruas seus resíduos domésticos e imensas montanhas de sacos de lixo nas ruas e calçadas em frente a casas comercias e residências. Uma cena deprimente que infelizmente observamos em quase todo o Peru (apenas não identificamos isso no Bairro de Miraflores/Lima onde ficamos).

Chegar à cidade foi simples, mas encontrar o destino final nem tanto. Observamos que foi construído um bairro ao redor da Pousada e totalmente sem planejamento, onde as ruas são obra do acaso e o GPS se mostrou completamente confuso (utilizamos dois app diferentes e nenhum dos dois conseguiu nos levar ao destino). A solução foi recorrer ao velho método de perguntar aos moradores locais, sobre como chegar ao destino. Depois de duas tentativas frustadas um terceiro não apenas nos orientou como chegar, como pegou seu moto taxi (tuc-tuc) e nos conduziu até o destino. Finalmente acessamos o local destinado aos Overlanders sem nenhuma dificuldade, estacionamos e finalmente fomos relaxar, pelo menos até amanhecer, para mais uma jornada.

Dia 31/12/2018 logo cedo, partimos agora rumo ao nosso local escolhido para ficarmos no último dia do ano. Foi uma viajem bem tranquila.

Chegamos às 17h 6min, ao Camping Swiss Wassi, onde havíamos realizada reserva, visto que o local é pequeno e bem concorrido em certas ocasiões. Não tivemos muita dificuldade de acesso assim como não ficamos na melhor posição, junto ao coqueiros de frente para a praia, mas esta vaga já estava preenchida, mas o cansaço era tanto que tudo estava bom.

Nos estabelecemos, preparamos nossa ceia de final de ano e recusamos o convite dos proprietários de participar da confraternização à meia noite pois não tivemos nenhum ânimo para a festa que estava sendo preparada. Ficamos em casa, e brindamos duas vezes o Ano Novo. A primeira vez assumindo o horário de Brasília (Três horas à frente) e depois o horário local. 

Assim foi o nosso Término/Início de ano. Muito felizes e animados para continuar “Viajando por aí…”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *